Mais recentes

Oito de Outubro


8 de outubro de 2018. 

365 dias depois... 

Quando as folhas de outono começaram a cair eu lembrei da última vez que a gente se falou. Eu não sabia que aquela seria a última vez mas vc, de alguma forma, já sabia. As folhas de outono foram as últimas coisas que te mostrei. 

Hoje eu só queria ter uma daquelas nossas conversas sobre a vida. Queria te contar que moro perto de um parque incrível e que sempre que passo por lá eu lembro de você por que tem muitos patos! Tu iria adorar! 

Queria te dizer que mudei de escola, que voltei a fotografar, que tenho clientes americanos. Queria te contar que prenderam Lula e te ouvir dizer “marrapais isso é tudo armado, tu vai ver ele sair dessa ainda.” Queria conversar ctg em inglês só pra me exibir, pra tu ficar orgulhoso mesmo sem saber sequer uma palavra do que eu estivesse falando. Queria te dizer que comprei um carro e to dirigindo bem e dirigindo muito! Certeza que você ia dizer ESSA ALANA É RETADA MESMO!

Queria te contar que voltei a cantar na igreja e sobre as novas e incríveis pessoas que fazem parte da minha vida agora. Queria te dizer que tento não focar no fato de vc não estar mais aqui entre a gente, mas tento valorizar aquilo que ainda tenho. Mais do que tudo queria te dizer que não penso na sua morte e sim em como você viveu e na vida que me trouxe de volta mesmo depois que você partiu. 

365 dias depois e são 365 dias a menos pra te ver de novo. 

E ele enxugará dos olhos toda a lágrima e já não haverá morte, nem choro, nem tristeza e nem dor.


Te amo, painho.


🖤

8 de outubro de 2019.

Dois anos depois...

As folhas de outono estão demorando a aparecer esse ano. A árvore em frente ao meu quarto ainda nem amarelou, acredita? Até mesmo o clima anda um pouco esquecido, esqueceu de esfriar. Mas o dia hoje ta nublado, parece que sabe que, de certa forma, me sinto um tanto cinza por dentro no dia de hoje. 

Hoje eu queria "ver" tua voz, como tu costumava falar. Sabia que um dia desses eu senti o cheiro do perfume que tu usava? Como era mesmo que você falava? Préti blu (Pretty Blue). Que saudade! Os pesadelos diminuíram, finalmente. Agora, dois anos depois, a sua ausência ainda dói mas de certa forma eu sei lidar com ela um pouco melhor do que lidava no ano anterior. 

Eu continuo morando no mesmo lugar. Pintei meu quarto sozinha, acredita? Estou levando a fotografia mais a sério que nunca e agora sou quase uma fotógrafa em tempo integral! Lula continua preso. Sabe o que é engraçado? Querem soltar ele, mas ele não quer sair por que só sai de lá com tudo certo, depois de desmentirem tudo que disseram sobre ele. Minha nossa, tu ia dizer "aí ó! Eu te falei. Lula que me aposentou, sabe o que tá fazendo".  E eu diria: "Ô painho, Lula sabe nem que tu existe!". Mas, com o cenário atual da política brasileira, hoje eu entendo o que você queria dizer ao falar que Lula te aposentou. Entendo mesmo. 

Queria te falar sobre Lis, a neta que você não pode conviver por muito tempo. Painho, tu ia amar Lis demais! Ela é uma figura. A gente nem se conhece pessoalmente ainda, mas a gente brinca pelo telefone e ela enche os olhos de lágrima, emocionada, por estar falando comigo. Kélissa ta enorme, quase uma adolescente. Eu sinto tanta saudade dela!

Eu uso frases suas diariamente, como por exemplo:

"Gente nasceu pra ser livre, amarrado só o diabo."
"Gente é invisível."

E essa aqui eu uso pra me sentir melhor sempre que algo ruim acontece:

"Mais tem Deus pra dar que o Diabo pra tirar."

Eu continuo cantando na igreja. As pessoas da igreja de Malden me acolheram, você iria gostar deles. Eu queria que você tivesse conhecido Juan. Ele faz cócegas no meu pé igual você fazia, é zero ansiedade, todo mundo gosta dele e as piadas dele são péssimas, eu adoro. A gente conversa muito. Minha nossa! Vocês iam se dar muito bem. Na verdade, ele tem muitas das suas qualidades. 

Eu continuo tentando focar no que ainda tenho e em como a sua morte, de alguma forma, me trouxe de volta a vida ao passo que levou muito de mim embora. Eu sigo confiando no fato de que a vontade de Deus é boa, perfeita e agradável.

Dois anos depois e são dois anos a menos pra te ver de novo. 

Te amo, painho. 

🖤

8 de outubro de 2020.

Três anos depois. 

Painho, 

Pra ser sincera hoje eu nem queria escrever aqui ao mesmo tempo em que precisava tanto conversar com você (mesmo isso não sendo uma conversa). Confuso, eu sei, mas sei que você entenderia. Não sei se vou continuar fazendo isso de escrever aqui, por que agora mesmo por exemplo eu tô com um nó na garganta e a vontade de chorar ta vindo. Tenho evitado isso há tantos dias. Tenho evitado tanto que minha cabeça começou a pensar em você como alguém que nunca existiu e isso dói. As vezes parece que tu só existiu num sonho distante. Que coisa louca! 

Eu precisava escrever hoje, mesmo não querendo. Eu precisava escrever por que dois mil e vinte ta sendo muito louco! Não. Sério. Muito. Louco. Real. Tu não ia desgrudar da TV - até pq não da pra fazer outra coisa desde que começou essa pandemia. Isso mesmo, uma pandemia. 

Em março começou um surto do novo coronavírus aqui nos EUA e uns meses depois o surto chegou ao Brasil. No começo parecia o apocalipse. Boston ficou vazia. As coisas no supermercado começaram a desaparecer, as pessoas estavam estocando comida - e papel higiênico, veja só que loucura. Ficou assim por umas duas semanas, depois a vida ficou quase normal, exceto pelo distanciamento social e o uso de máscara que dura até os dias de hoje, 7 meses depois.  Muitas pessoas morreram, inclusive pessoas que tu conhecia lá em Jequié. Você estaria no grupo de risco, eu estaria preocupada. Mainha ta bem, passou pelo vírus intacta. Irmã e as meninas também. Acho que eu tive o vírus em Abril. 

É muito doido por que apesar de tudo isso, aconteceram tantas coisas boas na minha vida que até me sinto culpada e tenho dificuldade de aceitar que pela primeira vez na minha vida ta tudo bem.

Painho, eu casei. - pronto, comecei a chorar.

Eu queria que você estivesse aqui. Me casei com Juan, painho. Juan é um fofo. Nossa, ele é tão bom pra mim. E ele é tão bom no trabalho dele, sabe? Tudo que ele faz fica bom. Você iria adorar ver ele trabalhar e depois ver as coisas prontas. Ele puxa meu pé e me faz cócegas igual a você. Eu mordo a cabeça dele e ele nem liga, igualzinho você também. Ele dorme fácil, acorda de bom humor e ta sempre bem. Isso me trás mais estabilidade. A gente se casou num jardim que é a coisa mais linda! Nosso casamento foi um dia lindo e eu tava uma gata. E a gente tava tão feliz! Foi muito bom. 

Painho, eu finalmente tenho uma cama!!! Não só isso. A gente ta morando num a apartamento que parece um hotel. A gente tem uma cama que é meio rouca e é muito fofa. ah, você iria amar a paisagem aqui da varanda. AAAAAAH. Sabia que Juan gosta de fotografar passarinhos? Tu amava passarinho. Ele já fotografou vários. 

Falando em fotografia: 
Esse é meu segundo ano como fotógrafa e eu estou sendo muito bem sucedida. Desde de junho passei a trabalhar só com fotografia. Tenho tido clientes incríveis. A qualidade do meu trabalho só melhora. Até comprei recentemente uma câmera nova, a melhor do mercado. De julho até agora, ganhei mais de 20 novos clientes! Primeira vez que isso acontece. Queria que você pudesse me ver sendo bem sucedida na minha profissão. Queria fazer mais fotos e vídeos contigo. 

Estou vivendo bem e sem remédios. Estou finalmente chegando onde eu queria chegar na minha profissão. Tenho um marido incrível. Ah! Troquei de carro. O banco esquenta, tu ia amar. Amo nosso apartamento. Tanta coisa boa tem acontecido mesmo com toda essa loucura no mundo... Eu gosto da minha vida como ela está hoje, mesmo que você não esteja mais aqui pra ver tudo isso.

Sinto saudades do Brasil. Sinto saudades dos meus amigos. Isaac casou, sabia? Alias ele casou faz tempo eu que esqueci de te contar. Até Rômulo casou. Bolinha ta quase formada. Eu sinto falta das coisas que tenho perdido estando em outro país. Aqui é bom. Da pra ter as coisas, mas amizade e família não são coisas e isso eu não encontro aqui. Eu ainda não tenho uma melhor amiga aqui, ou grandes amigos. Sinto falta disso e isso é o que sinto mais falta no Brasil. Não sei se vamos ter filhos apesar da gente ter começado uma família, eu e Juan, parece que de forma geral não se é família até que se tenha filhos. Mas eu ainda não sinto desejo de ser mãe. Sei lá. Tão difícil. Ainda não sei o que quero ou como vai ser em relação a isso. Só sei que morar em outro país é tão bom quanto doloroso. Ah, eu também sinto falta da igreja no BR. Aqui não é nem de longe igual. Tanta coisa que queria conversar. 

Sinto que essa é a última vez que te escrevo. Mas eu não vou te esquecer. Isso eu não vou. Nunca. Mesmo que minha cabeça fique brincando comigo e fazendo a maldade de me fazer pensar que você nunca existiu. Sinto que essa é a última vez, pelo menos por agora, por que tanto eu quanto você precisamos descansar. E eu sei que agora você pode descansar, por que eu estou finalmente bem. Aprendi a lidar com a vida como ela é agora. Como as coisas são sem você aqui. Finalmente encontrei o amor e a companhia que precisava. Nada substitui você, mas me alivia muito de alguma forma. Sei que você entenderia. 

Eu te amo de todo o meu coração. 
Até breve.

Com saudades, 

Alana. 

Comentários

  1. Me emocionei aqui! Um abraço pra você, querida! Logo toda essa saudade cessará ♥

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Form for Contact Page (Do not remove)