Conhecendo melhor: Mônica Fadul

By Alana Aguiar - sábado, outubro 15, 2011


Mônica Fadul (Nika Fadul)

22. Mineira. 

Fotógrafa e Web Designer. 



Pára tudo e presta bem atenção nessa moça da foto ao lado.


As fotos da Mônica são incríveis, coloridas e cheias de vida! Ela destrói no photoshop. Aliás, ela constrói mundos fantasiosos e faz a gente viajar na fotografia.

Pra entender melhor o que tô falando, dá só uma olhada no Flickr da Mônica: Click aqui. Entendeu agora? O trabalho dela é lindo!

Agora que se interessou, confira essa entrevista.:




Nika, onde você aprendeu a manusear tão bem o  Photoshop e a mexer com Web Design? (ps. Não vai dizer que você comia html no café da manhã, não vale.)




Bom,  não  sei  como  foi  que  o  negócio  começou  a  dar  certo,  mas  sempre  fui  meio invocada  em  fazer  algumas  coisas  com  fotos,  nem  que  fosse  só  por  diversão.  Lá  pra 2003  eu  me  divertia  pra  caramba  recortando  a  cabeça dos  meus  amigos e  montando pôsteres da minha turma em filmes do Harry Potter, e isso tudo era na base do Paint! (não,  isso  não  ficava  bom!)  Dá  pra  ter  uma  noção  que  o  que  me  trouxe  aqui  foi  essa vontade de fugir  um  pouco  da  realidade.  Então acho  que de tanto  ficar fuçando uma hora você acaba aprendendo.




A principal razão de começar a mexer com o Photoshop foi a vontade de deixar minhas fotos  ais  coloridas  e  felizes.  A  principal  razão  de  começar  a  adquirir  um  estilo fotográfico  era  a  vontade  de  ter  fotos  diferentes  com  meus  amigos,  coisas  menos posadas,  mais  espontâneas.  E  sobre  web  design,  entrei  nessa  porque  sempre  fiquei fuçando em códigos pra deixar meus blogs como eu queria. Aprendi uma noção básica de HTML no primeiro ano da faculdade e isso ajudou um pouco a compreender a lógica desses  códigos.  E  o  resto  era  pesquisando  no  Google  mesmo.



Quando  eu  era  mais nova  eu  adorava  desenhar  também,  queria  até  ser  desenhista,  então  acho  que influenciou um pouco a pegar o Photoshop e começar a criar meus próprios layouts. O primeiro resultado 100% Nika Fadul foi meu próprio site (www.nikafadul.com) e fiquei bem contente com o resultado. Acabei pegando gosto pela coisa hehehe




Quando você descobriu que levava jeito como fotógrafa?

Então,  no  começo  era  mais  por  diversão  mesmo,  até  que  as  pessoas  começaram  a gostar  muito  das  fotos.  Criei  uma  conta  no  flickr  em  2007,  e  aí  foi  um  dia  atrás  do outro  de  aprendizado,  inspiração  e  motivação.  Um  dia  você  acha  que  está  fazendo uma coisa só por fazer e no outro vê que algumas pessoas já estão te levando a sério. Daí você percebe que só falta você começar a acreditar também e decidir correr atrás!















Apesar  de  trabalhar  com  arte,  você  acabou  de  ser  graduada  em  ENGENHARIA BIOMÉDICA.  Como  assim?  Foi  sua  primeira  opção  no  vestibular?  Alguém  te influenciou?


Hahaha esse é o ponto negro da minha vida. No final desse ano concluo essa fase de engenharia,  mas  confesso  que  foi  só  um  caminho  alternativo  pra  chegar  aonde  eu queria. Em 2004 eu decidi que queria fazer Cinema e Video. MAS como nada é flores, foram anos e anos de tensão no ar por conta dessa decisão. Verdade é que essa área já é complicada, no Brasil então, nem se fala. Mas eu ficava lá, sonhando, que um dia eu trabalharia  em  uma  Pixar  da  vida  e  seria  a  pessoa  mais  realizada  do  mundo.  De qualquer  maneira,  o  curso  não  existia  na  minha  cidade  então  eu  dependia  dos  meus pais  pra  concordarem  com  a  decisão.  E  eles  preferiram  que  eu  fizesse  algum  curso mais ‘tradicional’ como um plano B, caso o Plano A se complicasse no futuro, e depois eu poderia fazer  o que eu quisesse.

Viciada em exatas como eu era e por sempre ter achado  essas  coisas  sobre  o  corpo  humano  interessantes,  achei  que  Engenharia Biomédica seria um bom lugar pra passar o tempo hahaha. Ah crianças! Tão ingênuas!



O que faz um engenheiro biomédico? 


De  uma  maneira  bonita  pode-se  dizer  que  é  a  Engenharia  de  Suporte  a  Vida.  É  uma engenharia elétrica direcionada à saúde. Resumindo bem, você pode trabalhar na área de engenharia  clínica  (administração/manutenção  do  parque  tecnológico  e  estrutura de  instituições  de  saúde),  ou  projetar  e  fabricar  equipamentos  para  a  área  da  saúde, seja para tratamento e diagnóstico, seja para reabilitação (como próteses).



Você pretende trabalhar (ou já trabalha) nessa área?


Já  trabalhei,  e  pode  até  parecer  arrogância  levantar  o  nariz  e  dizer  adeus,  mas  não pretendo trabalhar nessa área não. E espero que eu não precise!



Já  foi  chamada  pra  fotografar  festas,  casamentos,  etc?  Tem  interesse  nessa  área ou você prefere a fotografia artística mesmo?


Apenas  pra  coisas  pequenas,  como  casamentos  em  cartórios  e  pequenas  festas,  até porque  essa  área  depende  um  pouco  do  seu  equipamento  e  só  agora  que  eu  estou começando  a  caminhar  pra  esse  lado  de  câmeras  profissionais  e  todos  os  acessórios que  elas  oferecem.  Até  teria  como,  mas  sempre  preferi  passar  esse  tipo  de  trabalho pra  frente,  pra  não  fazer  um  trabalho  meia  boca.  Querendo  ou  não  acho  que  é importante estar bem preparado, até porque um casamento por exemplo, não é coisa que se repete, você não vai ter uma segunda chance de capturar os momentos né?

Prefiro mais essa área de fotografia  artística sim, acho que dá até pra aplicar bem na área  de  publicidade  e  moda.  Mas  não  deixo  de  admirar  muito  o  trabalho  de  alguns fotógrafos  de  casamentos.  É  inspirador  quando  as  pessoas  inovam  nessa  área,  afinal são  uma  fonte  inesgotável  de  momentos  espontâneos  carregados  de  emoção.  Acho bem  triste  quando  vou  em  casamentos  e  os  fotógrafos  insistem  empacar  a  festa  por horas  pra  fazer  fotos  dos  noivos  posados  com  todos  os  convidados.  Perde-se  demais assim... em tempo e em momentos.



Você  faz  layouts  para  blogs  e  sites  como  o  do  OOZE.  O  que  é  mais  difícil  no trabalho de Web Design? E o que você mais gosta?


Gosto de ficar criando, vendo a coisa tomar forma. E quando você está programando e a coisa dá certo, pra mim é a mesma sensação de passar em uma fase do videogame!

O mais difícil mesmo é aliar qualidade e eficiência. Por exemplo, velocidade da Internet é aquele cara do mal que limita sua criação. De nada adianta fazer uma coisa fantástica se vai fazer a página demorar muito tempo pra carregar e ninguém vai ter a paciência de esperar. Difícil também entender o que o cliente quer às vezes. Ainda mais quando nem ele sabe o que quer haha.


Na  definição  de  Nika  por  ela  mesma  você  diz  "Meu  cérebro  funciona  como  uma polaroid  que  capta  luz  e  cospe  fotografias.  Só que  no  meu  caso,  ele  capta  música  e cospe  idéias".  Qual  das  bandas  que  você  curte  mais  te  inspira  e  qual(ais)  foto(s) bacana ela gerou pra você?


Olha,  praticamente  90%  das  minhas  fotos  foram  inspiradas  em  músicas.  É  até  difícil escolher  uma  banda  só,  mas  as  que  geralmente  me  dão  mais  idéias  legais  são:  Yes, Pink Floyd, Coldplay, The Beatles e outras mais...


Tem  um  projeto  meu  chamado  With  a  Little  Help  From  McCartney,  um  foto-livro  de fotos inspiradas em músicas criadas pelo Paul McCartney. Pra quem quiser ver: clica aqui.











With a Little Help From McCartney







Quais seus fotógrafos favoritos? E quem é sua grande inspiração?


Gosto muito de fotógrafos que conheci pelo flickr mesmo, como Brooke Shaden, Gosia Janik,  Olivia  Bee,  Miss  Aniela,  Rosie  Hardy,  Anastasia  Volkova,  Erica  Berger  e  tantos outros nomes. E não posso deixar de citar Annie Leibovitz! Mas enfim, considero essas pessoas mais como motivação, não inspiração. Aqueles talentos que quando você vê, te dá aquela gana de melhorar cada vez mais. Inspiração mesmo fica lá, por conta da música!



Nas  redes  sociais,  você  se  mostra  bem  divertida,  tagarela  e  simpática.  É  só nas

redes sociais, ou pessoalmente também é assim?


Nossa,  nas  redes  eu  acho  que  até  me  controlo  um  pouco  pra  não  ficar  insuportável!

Sou  do  mesmo  jeitinho  pessoalmente  também.  Só  que  mais  com  pessoas  que  me considero  íntima.  Do  contrário  sou  séria  e  autista  e  anti-social  hahaha.  Tenho  muito pavor de ficar sem assunto numa conversa com conhecidos, daí prefiro evitar a fadiga.




Apesar  das  suas  fotos  incríveis,  alguma  vez  te  criticaram  ou  te  ofenderam  de alguma forma? Como você lida com críticas?


Olha, houve muita crítica inicialmente porque algumas pessoas não me consideravam fotógrafa, já que eu estava sempre nas fotos. Diziam que eu pegava crédito de quem havia fotografado. Mas é o tipo da coisa que você lê e tem que rir, porque mal sabem da história de amor entre eu e o timer 10 segundos!


No começo a gente sempre acaba sendo um faz-tudo mesmo, fotografa, é modelo e tudo mais, porque quem vai perder tempo sendo sua cobaia né? Claro que depois de um tempo fui conhecendo fotógrafos e ai realmente havia fotos que não tinham sido fotografadas por mim, mas o conceito e produção eram feitos em parceria, tratamento feito por mim, e era tudo combinado entre  nós,  então  não  vejo  porque  me  pregar  na  cruz  por  causa  disso  né!  Acho que crítica é uma coisa que você tem que ouvir e parar pra pensar. Inicialmente é sempre duro  ouvir,  e  quem  tem  auto-estima  baixa  acaba  achando  que  tudo  que  falam  é  a verdade  universal.  Tem  que  saber  ouvir  e  analisar,  filtrar  o  que  realmente  é  válido.

Criticam demais manipulação de imagem por exemplo, dizem que o resultado final não é fotografia. Isso pra mim não faz o menor sentido, então entra num ouvido e sai pelo outro.  Mas isso já é assunto pra outras perguntas!








  
Como é o dia-a-dia da Mônica?

Complicado  dizer,  porque  abomino  uma  rotina.  Não  tenho  hora  pra  dormir,  pra almoçar,  pra  acordar,  vou  só  vivendo  e  encaixando  as  necessidades  no  meio  disso tudo. Mas generalizando, minha rotina tem fases, a de fotografar compulsivamente, a de programar e a de criar planos para dominar a vida, o universo e tudo mais!

Atualmente madrugo trabalhando, gosto muito dessa parte do dia pra ter boas idéias e  colocá-las  em  prática.  Como  os  planos  andam  dependendo  muito  do  computador, acaba que fico quase o tempo todo nele.



Dica pra quem curte fotografia e quer seguir essa área by Nika Fadul.


É acreditar em você, porque vai ter momentos bem difíceis que você vai poder contar só com esse pensamento pra conseguir continuar. E saber se entender e se ouvir. Arte é a sua maneira de se expressar para o mundo, é muito importante que você encontre a  SUA  maneira  de  fazer  isso,  e  assim  achar  um  estilo  próprio  que  se  destaque.  Não ignorar  conselhos,  seja  de  quem  for.  E  praticar  sempre,  e  muito.  É  como  digo,  não existe fotógrafo errado, existe fotógrafo não apaixonado =)

 













 








Nika, adorei entrevistá-la e conhecer melhor o seu trabalho.Muito sucesso pra você!




Visitem o site da Mônica, tem muitos trabalhos e projetos legais.

  • Share:

You Might Also Like

3 comentários

  1. Que ótima sua entrevista... E as imagens são lindas!

    ResponderExcluir
  2. Há! Eu que agradeço, foi uma honra =D

    ResponderExcluir
  3. adorei a entrevista! sempre que passo pelo flickr, visito a página da Nika.. ela é ótima! acompanho já faz um tempão! *-*
    mestre no photoshop! adoro todas as composições!!

    :*

    ResponderExcluir